Educação Remixada

Francisco Arlindo Alves


culture is not a crime
Originally uploaded by Dawn Endico

A emergência dos PLE (Personal Learning Environments ou Ambientes de Aprendizagem Pessoal) tem cada vez se acentuado no uso da tecnologia na educação. Ferramentas colaborativas e de compartilhamento como blogs, wikis estão ameaçando o domínio de dos chamados sistemas VLE (Virtual Learning Environments) como o Blackboard.
Até pouco tempo, sistemas como Blackboard expandiam sua influência atingindo um estágio de desenvolvimento definido como dominant design (design dominante). Segundo, Utterback e Abernathy (1975) isso ocorre quando um produto ou uma tecnologia supera a fase da inicial de inovação e diversidade inicial de modelos e começa a seguir padrões básicos de configuração que resultam num status de um “design dominante”. Entretanto, no caso dos sistemas VLE este status começa a ser muito questionado e entre as principais críticas podemos destacar cinco:

1- O fato de utilizarem um modelo de organização que segue os padrões comuns da educação como planejamento dos cursos em módulos estanques. Como esta sistematização da educação o compartilhamento de conteúdos entre cursos não é valorizado, empobrecendo a experiência do aluno.
2- A relação assimétrica entre professor aluno. Embora os professores incentivem uma atitude participativa dos alunos, de forma que assumam o controle de sua educação, é oferecida uma estrutura que os restringe a um papel passivo com poucas opções de interagir. Os professores tem muitas possibilidades de interagir no sistema, enquanto que os alunos não.
3- O modelo centralizado produz um experiência homogênea, os mesmos conteúdos são disponibilizados a todos alunos, e impedindo uma melhor adaptação do aprendizado a suas necessidades pessoais.
4- A devido ao direitos de uso dos sistemas, o acesso aos conteúdos se limita organizacionalmente as instuições que compraram o sistema, e depois do término do curso os alunos são impedidos de acessar os conteúdos.
5- Existe a crítica sobre a influência de coorporações do software no ensino como foi abordado aqui no post sobre o movimento Edupunk.
Devido ao design dominante dos VLEs, durante algum tempo foi colocada em segundo plano a concepção participativa e colaborativa dos PLE, mas recentemente esta concepção tem emergido como um nova tendência na educação.

O que se propõe é um novo conceito de sistemas tecnológicos para auxilio da educação cujo o objetivo é integrar o uso de diferentes tecnologias, softwares e conteúdos, possibilitando a troca as experiências personalizadas de alunos, num ambiente de relações simétricas onde todos podem produzir e acessar os conteúdos. A idéia é usar ferramentas da chamada WEB 2.0 com API abertas, softwares abertos, conteúdo abertos com a licença Creative Commons Na Universidade de Bolton esta sendo desenvolvidos um software protótipos chamado FLEX para auxiliar da organização das múltiplas ferramentas colaborativas.
A concepção PLE é de um sistema aberta de natureza construtivista, cujo o desafio “organizar a confusão” integrando recursos e conteúdos e dando sentido a eles.

Saiba mais em: Máteria do Master New Media que aborda o assunto (em portugues)

Artigo de pesquisadores da univerdidade de Bolton no qual este post foi baseado
WILSON, S., LIBER, O., JOHNSON, M., BEAUVOIR, P., SHARPLES, P., e MILLIGAN, C., (2007). Personal Learning Environments: Challenging the Dominant Design of Educational Systems. University of Bolton
http://dspace.ou.nl/bitstream/1820/727/1/sw_ectel.pdf

Wiki do projeto PLEX dos pesquisadores da universidade Bolton

Artigo que conceitua o dominant design (design dominante)
UTTERBACK J. e ABERNATHY W.(1975). A dynamic model of process and product innovation.

Tags: , , ,